terça-feira, 31 de março de 2015

"Derrotados mas Vivos" (A vida de Carmen Castillo): Chile 1973


"Je sais que tant que nous serons en vie, nos morts ne seront pas morts."

sábado, 28 de março de 2015

a Blue Note faz 75 anos e pôs o catálogo de fora *



* não me digam que um concerto esgotou, que eu vingo-me logo !

domingo, 22 de março de 2015

Eire land

Acabo de ler no on-line da BBC que a Irlanda venceu o torneio das 6 nações em rugby. Por 6 pontos de diferença para a Inglaterra. Ah, insurrectos !

E é agora que me lembro de ti. Há 10 anos. De ver do ar só campos e campos verde trevo, quando o avião chegava.

Não foi preciso chover, nem trouxe comigo o cd dos "Pogues" a tocarem 'A Pair of Brown Eyes'.
Depois começam-me a chegar estas imagens. Alugar o carro em Cork a um homem chamado Finbar e de coisa nova, conduzir do lado esquerdo. Inverter o cérebro e distorcer hábitos instalados. Estradas e estradas. Que coisa boa !, quando nos trocam tudo à volta e ficamos como virgens a ver tudo como num espelho. E isso é viajar.
Chovia, quando chegámos. Choveu quase sempre e é por isso que és desse verde impossível.
Lembrei-me da interminável estrada até Killarney e das livrarias. Podia sempre interminar-me numa livraria !
E parar naquele pub do fim do mundo, depois de subir uma colina, andar, andar e andar, e de receber mais uma pint de Guinness que me trouxeram para a mesa de madeira «... for the way, man», enquanto escutávamos canções de velhos celtas a tocarem num rádio velho e roufenho.
Lembrei-me das setas para Tipperary e de escolher o ferry para o Burden.
De chegar a Galway, das corridas, onde um velho de bengala esperava sentado. Ou talvez descansasse apenas.
De nos encostarmos de barriga para baixo nos 'Cliffs of Moher', esses penhascos gigantescos que se esmagam contra o mar, e sentir a enorme vertigem de abismo que só experimenta quem tem coragem. Que tu esbanjavas, Cristina. Porque já levavas a Matilde na barriga.
Lembrei-me de Belfast, de entrar numa rua em contramão, e dos murais, do Bobby Sands e da Loyalist Zone. De saber que ainda há pouco tinha sido chacina. E de como ainda continuou depois de nós. E do fumo nos pubs, que aqui a lei nova não entrava, porque estávamos no UK. De repente as bandeiras mudam de cor e os táxis e os autocarros são de Londres. Fico logo contra ti mas porque sonho com a independência. E porque adoro os irlandeses.
Ainda enterrar-me no trânsito da autoestrada que vai para Dublin por causa da final de futebol gaélico que se jogava no domingo.
De andar contigo nas ruas da capital, de ler sobre o Easter Rising e de procurarmos velhas fotografias do Michael Collins a comandar o IRA.
De comer um bife num pub de Kilkenny e assistir aos malvados franceses porem-te para fora do Mundial de 2006 com uma obra de arte chamada Thierry Henry. E este nem foi com ajuda da mão.
No dia seguinte o Irish Independent ainda chorava a tristeza da véspera, como eu chorei a lotação do estádio e de não ter conseguido bilhetes para o jogo.
  

sexta-feira, 20 de março de 2015

Eclipse



... e os miúdos radiantes com a novidade de olharem para o Sol a ser comido pela Lua com os óculos especiais do pai.

quarta-feira, 18 de março de 2015

para a Carminho

... o pai viu-o na livraria e achou que a menina do casaquinho vermelho eras tu, a apanhares flores que vês em tudo o que é cantinho.


segunda-feira, 16 de março de 2015

Playoff Playback



Finais de 2010, recuperadas no pacotinho especial do cabo, só para eu poder ver bem a Black Mamba em acção para o back-to-back. E logo quem ? Lakers v Celtics. 
Que rivalidade !

quinta-feira, 12 de março de 2015

Jimmy Jazz *


* Não confundir com o original dos Clash.

PS: Obrigado, Tio Zé.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Calçando as chuteiras de um craque



"Quem chega junto é burro. Não existe essa necessidade de violência, esse machismo besta e essa modernidade tonta. Você tem é que se antecipar às jogadas."
 
(Vavá, avançado da seleção brasileira bicampeã do mundo em 1958 e 1962, sobre o futebol moderno)


"Olhem Vavá. Não tem medo de ninguém, medo de nada. Se for preciso, ele dará a cara para o inimigo chutar. É, mal comparando, um Tartarin desgrenhado, que pegasse, à unha, leões de verdade."

Nelson Rodrigues

quarta-feira, 4 de março de 2015

terça-feira, 3 de março de 2015

Nasceu-te um Filho


Nasceu-te um filho. Não conhecerás, 
jamais, a extrema solidão da vida. 
Se a não chegaste a conhecer, se a vida 
ta não mostrou - já não conhecerás 

a dor terrível de a saber escondida 
até no puro amor. E esquecerás, 
se alguma vez adivinhaste a paz 
traiçoeira de estar só, a pressentida, 
leve e distante imagem que ilumina 
uma paisagem mais distante ainda. 
Já nenhum astro te será fatal. 

E quando a Sorte julgue que domina, 
ou mesmo a Morte, se a alegria finda 
- ri-te de ambas, que um filho é imortal. 

Jorge de Sena, in 'Visão Perpétua'
 

segunda-feira, 2 de março de 2015